sexta-feira, 13 de setembro de 2013


1.822- Vila de Jacareí pela descrição de Auguste de Saint-Hilaire

Rugendas: Rio Parahyba. Foto de domínio Público

  Segunda viagem de Auguste de Saint-Hilaire, 1822“Jacareí fica situada à margem do Paraíba entre este rio e  uns pântanos. É mais importante do que Pindamonhangaba e São José mas parece pouco habitada. Veem-se algumas casas térreas, mas também conta a vila grande número de prédios muito pequenos e que só demonstram miséria. A igreja paroquial, construída de taipa, é bem grande, mas pouco ornamentada; não está caiada, nem por dentro nem por fora. Duas outras igrejas, uma na cidade e outra fora, são tão pequenas que apenas merecem que delas se faça menção.”“Desde Baependy não cesso de ver gente com bócio. Eram tão comum os papudos em Pouso Alto, os meus indiozinhos apelidaram esta localidade a vila dos papos. Mas em nenhum lugar do Brasil é esta doença tão comum quanto em Jacareí..
Grande número de indivíduos tem o pescoço sobrecarregado por uma massa de carne tão grande quanto a cabeça a lhes cair sobre o peito...Com dificuldade viram a cabeça e sua voz toma ao mesmo tempo um timbre surdo....Os traços da raça indígena acham-se muito mais pronunciados nos habitantes de Jacareí do que nos outros lugares por onde passei até agora. Isto não é extraordinário, pois esta região fica ainda a considerável distância de São Paulo que só possui comunicação indireta com o Rio de Janeiro, e onde por conseguinte os cruzamentos foram menos repetidos...As fisionomias  exprimem muitas vezes doçura e encanto, mas são sempre inexpressivos. Os homens desta região, tardos de movimentos, parecem indiferentes a tudo. Não mostram a menor curiosidade, falam pouco e são muito menos educados que os de Minas...Tão comuns os mulatos na capitania de Minas, quanto raros nesta região; os descendentes de índios são muito pobres para comprar muitos  escravos, e como as mulheres brancas, ou ao menos as que tal parecem, sem terem real formosura não se escondem, e são tão fáceis como as negras, não há tanta necessidade em recorrerem os homens a estas últimas....Atravessa-se o Paraíba de canoa. Paga-se dois vinténs por pessoa, quatro pelos burros e cavalos, embora sejam eles obrigados a atravessar a nado e afinal dois vinténs pela carga de cada animal...”As revoluções que se operaram em Portugal e no Rio de Janeiro não tiveram a menor influência sobre os habitantes desta zona paulista; mostraram-se absolutamente alheios às nossas teorias; a mudança de governo não lhes fez mal nem bem, por conseguinte não sentem o menor entusiasmo. Não conseguiram as autoridades fazer partir de Jacareí nenhum miliciano para o Rio de Janeiro; fugiram todos para o mato” ( Auguste de Saint Hilaire, apud  Lencioni, C. 1991 pag. 25)


Segundo apurou Lencioni,B.S. em 1832 a população de Jacareí era de 6.017 habitantes, sendo 888 escravos. Em 1836 a população era de 8.243 habitantes.

Um comentário:

Este comentário será exibido após aprovação do proprietário.